Falta pouco para a Nissan oficializar a chegada do Kicks brasileiro ao mercado, sendo que até mesmo já antecipamos aqui no AUTOO alguns detalhes sobre a novidade. Por enquanto, quem quer comprar o modelo tem na versão SV Limited a opção mais acessível do modelo. Tabelada em R$ 86.490, ela é R$ 8.000 mais barata do que a topo de linha SL.

Longe de ficar devendo em equipamentos, em relação a versão SL, o Kicks SV Limited perde de mais relevante os airbags laterais e de cortina, bem como o revestimento interno de couro e o sistema de câmeras que permite controlar todo que ocorre em 360º ao redor do veículo. Fora isso, permanecem o prático sistema de chave presencial com partida por botão, o ar-condicionado automático digital e a tela multifuncional de 7” no lado direito do painel de instrumentos. Vale lembrar que o Kicks SV Limited também conta com todos os sistemas eletrônicos de segurança que derivam dos controles de tração e estabilidade, como o controle dinâmico de chassi, dentre outros.

Como é de se esperar de um carro nessa faixa de preço, o Kicks SV Limited também conta com central multimídia com tela de 7” e navegador integrado ao equipamento. A central também agrega câmera de ré e para garantir ainda mais a segurança na baliza e evitar aquele “raspão” indesejado você conta com a ajuda do sensor de estacionamento traseiro.

Hoje talvez o principal concorrente para o Nissan Kicks SV Limited seja o Hyundai Creta Pulse 1.6 automático, que tem valor sugerido de R$ 85.740. Os dois são bem equivalentes em termos de equipamentos, oferecendo ainda rodas de liga leve aro 17”, porém falta ao Creta Pulse 1.6 uma central multimídia equivalente à do Kicks SV Limited, um belo deslize do Hyundai.

Alguns podem argumentar uma pretensa superioridade do Creta pelo fato de seu motor 1.6 16V entregar 130 cv contra 114 cv do Kicks, porém o que muitos não levam em conta é a sensível diferença de peso entre os dois modelos. Enquanto o Kicks é muito mais esbelto com seus 1.142 kg, o Creta 1.6 Pulse automático registra 1.359 kg na balança. Com isso, ambos precisam deslocar em média 10 kg/cv, o que confere a eles um desempenho bem parecido.

Mesmo sem start-stop como o Creta, o Kicks é muito beneficiado não só pela questão da estrutura mais inteligente, como também a eficiente dupla formada por seu propulsor 1.6 16V e o câmbio automático CVT. O Kicks consegue alcançar ótimas parciais de 11,4 km/l na cidade e 13,7 km/l na estrada com gasolina, enquanto o Creta 1.6 automático fica em 10,1 e 11,3 km/l, respectivamente, nas mesmas condições. Mesmo com essa eficiência superior, o Kicks poderia oferecer um tanque de combustível maior do que os 41 litros (55 litros no Creta) para melhorar a autonomia.

Mesmo ao volante, o Kicks SV Limited transparece um estilo de condução mais agradável em relação à modelos como o próprio Creta. A direção com assistência é elétrica e o volante bem compacto proporcionam respostas suaves e controladas. A base achatada do volante nos remete a uma pretensa aspiração esportiva que não é o caso do Kicks. Mesmo com a suspensão tendo que lidar com as rodas aro 17”, o conforto na cabine não é sacrificado, uma das vantagens da maior altura em relação ao solo.

Outro ponto interessante, já que citamos as rodas, é que visto de fora ninguém conseguirá identificar se você está dentro de um Kicks SV Limited ou um SL, o que pode ser visto como uma coisa positiva na versão. Se você quiser mais desempenho, a função Sport presente no câmbio torna as respostas do Nissan mais animadas. Por falar na transmissão, a Nissan “inventou” um recurso bem interessante para ela: quando o acelerador atinge, ou passa, do meio curso, o câmbio começa a operar simulando trocas de marchas em uma tentativa de agradar aqueles que não gostam da linearidade de uma caixa CVT tradicional.

Por dentro o Kicks continua oferecendo um bom porta-malas e espaço suficiente para uma família com dois filhos já passando da adolescência. Ele não oferece a mesma “sala” que o Versa, seu irmão de plataforma, no banco traseiro, mas ninguém viaja apertado por ali. O revestimento de tecido presente na versão SV Limited não é ruim e apresenta um bonito jogo com as costuras, valorizando o acabamento geral do crossover. Mesmo sem o couro no painel, o visual do conjunto não ficou ruim. De qualquer forma, você consegue colocar o revestimento interno de couro no Kicks em algumas lojas e tapeçarias especializadas caso seja de sua vontade.

Logo, se você busca um SUV compacto que não ultrapasse dos R$ 90.000, o Kicks SV Limited é uma das melhores escolhas que você pode fazer. O Chevrolet Tracker LT (R$ 81.990) até figurar em sua lista de compras em especial pelo conjunto mecânico mecânico moderno, com destaque para o motor 1.4 turbo, porém a ausência dos controles de tração e estabilidade tiram o brilho do Tracker. Moderno, bem equipado e agradável de dirigir, o Nissan Kicks SV Limited torna-se cada vez mais uma escolha certeira dentro do segmento!  

 
 
Nissan Kicks 2017
 
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
 
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
 
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
 
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
 
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
 
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
 
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
 
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
 
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
 
Nissan Kicks 2017
Nissan Kicks 2017
 
 

Ficha técnica

Nissan Kicks 2017 SV Limited 1.6 16V flex automático 4p
Preço R$ NaN (08/2017)
Categoria SUV compacto
Vendas em 2017 18.708 unidades
Motor 4 cilindros, 1598 cm³
Potência 114 cv a 5600 rpm (gasolina)
Torque 15,5 kgfm a 4000 rpm
Dimensões Comprimento 4,295 m, largura 1,76 m, altura 1,59 m, entreeixos 2,61 m
Peso em ordem de marcha 1133 kg
Tanque de combustível 41 litros
Porta-malas 432 litros
Veja ficha completa

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |