A Chevrolet lançou nesta terça-feira (26) o novo Prisma. Apesar do nome antigo, o projeto é completamente novo e agora deriva do hatch Onix, lançado no ano passado com enorme sucesso. Assim como este, o Prisma tem três versões de lançamento, LT  1.0, por R$ 34.990, LT 1.4, por R$ 39.090, e LTZ 1.4, por R$ 45.990 – o Onix tem ainda o mais barato LS, lançado posteriormente.

A receita do Prisma é praticamente a mesma do Onix: visual bastante esguio, acabamento simples, mas satisfatório, motores 1.0 e 1.4 flex retrabalhados e lista de equipamentos generosa cujo destaque é o sistema MyLink, multimídia que funciona em conjunto com um smartphone.

Entre as poucas diferenças, está o acabamento do interior que traz tons marrons mesclados com pretos, num resultado muito bom.

O porta-malas leva 500 litros, 220 litros a mais que o Onix, fruto de um trabalho de design que fez a traseira ser bem alta e curta, além do uso de pneu de emergência como estepe.

O novo Prisma ficará situado entre o velho Classic e o maior Cobalt, mas pode, sim, roubar vendas dos dois, além dos rivais Siena e Voyage. Espaço para produção em Gravataí (onde está a linha de montagem) e em Joinville, onde a GM inaugurou uma nova unidade para produção de motores, não falta.

Veja nesta quinta-feira a avaliação do novo Prisma 2013.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/