Primeiro a ideia foi desenvolver um carro de baixo custo, com foco nos mercados asiáticos, estabelecendo uma aliança com a Suzuki. O afã foi tão grande que o grupo Volkswagen até adquiriu algumas ações da fabricante japonesa para integrar com mais profundidade as operações.

Só que o plano que todos esperavam para ver quais frutos seriam originados acabou não saindo do papel. O mesmo ocorreu agora, só que dessa vez envolvendo a marca Skoda, pertencente ao grupo VW, e a indiana Tata.

Como noticiamos, a parceria entre a Skoda e a Tata parecia avançar, porém nesta quinta-feira (10) a marca de origem tcheca emitiu um comunicado informando que “as duas companhias chegaram a conclusão de que sinergias técnicas e econômicas não conseguiriam ser realizadas neste momento como as duas partes desejavam”.

A Skoda destaca, contudo, que manteve negociações “intensas e conversas construtivas” com a Tata. Ambas não descartam fazer negócios no futuro.

O ponto que foi crucial para encerrar as negocições entre as duas empresas, dizem os bastidores, foi que o time de engenharia da Skoda não se sentiu confortável em investir na plataforma AMP da Tata, a qual demandaria muito tempo e dinheiro para ser adaptada para os padrões de testes de colisão e formas alternativas de propulsão que podem figurar nos carros no futuro.

Com isso, mais uma tentativa da VW de produzir um modelo bem mais acessível esbarra em limitações técnicas, algo que os engenheiros alemães mostram-se pouco dispostos a ceder em nome do custo.

O projeto, originalmente destinado a mercados como a Índia e demais países da região, também poderia afetar produtos comercializados no Brasil. Porém, teremos que aguardar os próximos passos na estratégia do conglomerado alemão. A tendência é que a Volkswagen volte para dentro de casa mesmo e tente conseguir esse novo produto de baixo custo adaptando sua atual plataforma modular MQB.

César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/