10 fatos que mostram como as vendas de carros no Brasil mudaram em 10 anos

Embora nosso mercado ainda carregue distorções em relação ao mundo, década foi palco de transformações significativas nos automóveis vendidos no país
O Gol e o Onix: líderes em 2010 e 2020

O Gol e o Onix: líderes em 2010 e 2020 | Imagem: Divulgação

Parece que faz bem mais do que 10 anos que o Gol era o líder inconteste do mercado de automóveis brasileiro. Ou que dos 20 veículos leves mais vendidos, metade fosse de hatches compactos. Nesta década que se encerra na semana que vem, muita coisa mudou a despeito de algumas ‘jabuticabas automotivas’ como alíquota do IPI diferenciar veículos pelo volume dos cilindros e criar o ‘carro popular’.

Olhando para o ranking de vendas de 2010, é possível constatar que os carros não são os mesmos, ou melhor dizendo, o consumidor brasileiro já não é mais o mesmo. Felizmente para melhor. Ele está mais exigente, preocupado com aspectos como segurança e eficiência além de comprar produtos mais equipados e espaçosos. O famoso veículo ‘pé-de-boi’ é raridade hoje em dia, o que inclusive explica porque o Gol não é mais o primeiro colocado em vendas.

AUTOO relembra a seguir alguns fatos e aspectos que marcaram a mudança no cenário dos 20 carros mais vendidos do país em 2010 e em 2020:

Um novo líder

Em 2010, o Gol respondia por quase um e cada dez veículos leve no país. O resultado fora de série envolvia uma nova geração, baseada na plataforma PQ24, e também o velho Gol. Mas essa situação não demoraria a mudar: já nessa época a GM gestava o Onix, modelo que seria lançado em 2012 e logo derrubaria velhos nomes como Palio e Uno, além do modelo da Volks. A receita envolvia mais espaço e sobretudo uma central multimídia incorporada ao projeto.

Zumbis

Dos 20 carros mais vendidos 10 anos atrás, apenas cinco nomes desapareceram: o Celta, Corsa Sedan/Classic, Palio, Fiesta e Agile. Mas dos 15 que sobraram apenas quatro permanecem entre os mais vendidos (Gol, Strada, Ka e Corolla). A maior parte transformou-se em ‘zumbis’ do mercado, com baixas vendas e sem planos de renovação. É o caso do Uno, Fox, Siena, Prisma e C3, por exemplo.

Sedãs em baixa

Há uma década, o ranking possuía quatro representantes entre os sedãs compactos, uma categoria que só perdia em popularidade para os hatches pequenos. Estavam lá o Classic, Siena, Voyage e Prisma, mas o segmento acabou passando por uma grande transformação, ganhando mais conteúdo e preços mais elevados. O resultado é que hoje apenas o novo Onix Plus figura na lista.

Mais nomes entre os 20

Outro dado que chama a atenção é que o ranking dos 20 mais vendidos ganhou mais nomes. Há 10 anos, apenas oito marcas apareciam na lista, quatro delas apenas do 11º ao 20º lugar. As quatro montadoras tradicionais (VW, Fiat, GM e Ford) dominavam o Top 10 e o melhor ‘new comer’ colocado era o Sandero, na 12ª posição.

Ranking de 2010 e 2020
O ranking de 2010 e o de 2020: diferenças imensas
Imagem: Divulgação

Neste ano, temos 10 marcas entre os 20 carros mais emplacados, seis delas disputando os 10 mais vendidos. O domínio das quatro grandes continua grande (oito dos veículos mais vendidos), mas há mais variação nessa disputa, felizmente.

Top 20 ainda domina mais de 60% das vendas

O mercado brasileiro ainda demonstra ter uma concentração imensa em alguns modelos que pouco mudou nos últimos 10 anos. Se em 2010, a lista dos 20 mais vendidos representava 62% dos emplacamentos, neste ano essa participação deve ficar ligeiramente menor, por volta de 61%. A boa notícia é que os cinco veículos mais vendidos perderam espaço: se antes eles respondiam por 29% das vendas agora equivalem a 23%. Parece pouco, mas são 100 mil unidades a menos na conta.

Pés-de-boi em baixa

Embora ainda existam oito hatches compactos entre os 20 mais vendidos eles não são mais os mesmos. Em 2010, Gol, Uno e Celta eram carros básicos, sem itens de segurança como airbags e ABS (que passaram a ser obrigatórios em meados da década) e mesmo de conforto como direção assistida e ar-condicionado. Dez anos depois, os modelos que representam a categoria trazem todos esses itens de série, com raras exceções, sinal de que o consumidor está mais exigente

Embreagem virou minoria

Sem dúvida, uma das grandes viradas da década foi a ampliação da oferta de transmissão automática nos carros vendidos no Brasil – e aqui falamos das genuínas, não o sistema de embreagem automatizada, que foi abandonado recentemente. Se há 10 anos apenas cinco veículos do Top 20 ofereciam esse recurso (todos eles no final desse ranking), agora o câmbio de trocas automáticas está presente em 18 dos 20 carros mais emplacados. As exceções são os compactos Mobi e Kwid e a picape Strada – mas ela entrará no clube automático em 2021.

Jeep Compass 2021
Jeep Compass 2021
Imagem: Divulgação

Novas caras

Em 2010, a Hyundai já era uma marca que fazia barulho, mas graças aos importados como o hatch médio i30 e os SUVs Tucson e ix35. O pulo do gato, entretanto, estava sendo gestado do outro lado do mundo, a família HB20, que seria produzida no Brasil a partir de 2012. Desde então, a montadora figura entre as principais do país e este ano deve voltar a ter o segundo carro mais emplacado do mercado.

Peugeot e Citroën desaparecem

Se a Renault soube contornar as dificuldades do mercado sul-americano ao adotar uma linha de produtos mais simples e efetiva (família Logan), as francesas Peugeot e Citroën perderam completamente o rumo na década. Juntas, as duas marcas da PSA emplacaram cerca de 175 mil veículos em 2010, já neste ano não devem chegar a 27 mil unidades ou cerca de 15% do volume anterior. Se há 10 anos, o Citroën C3 era o 20º carro mais vendido do país, em 2020 o produto mais bem colocado do grupo será o C4 Cactus, na 46ª posição, se nada mudar até 31 de dezembro.

SUVs dominam

É claro que o último e mais importante aspecto da década é a invasão de SUVs no mercado brasileiro. Eles foram responsáveis por destruir ou enfraquecer outros segmentos e devem seguir aniquilando concorrentes nos próximos anos. O que mais impressiona é que em 2010, o EcoSport era o único representante da categoria entre os 20 mais vendidos, na 18ª posição. Hoje, nada menos que sete modelos figuram na lista, incluindo o Jeep Compass, cujo posicionamento no mercado é mais elevado. Um sinal inequívoco que o cenário hoje é bem melhor do que há 10 anos.

O Gol e o Onix: líderes em 2010 e 2020

O Gol e o Onix: líderes em 2010 e 2020

Acima o Nissan Kicks oferecido na Índia: motor 1.3 turbo chega ao SUV

Acima o Nissan Kicks oferecido na Índia: motor 1.3 turbo chega ao SUV

Assine a newsletter semanal do AUTOO!