Tudo bem que o Toyota Corolla 2018 fabricado no Brasil não evoluiu tanto como seus irmãos vendidos na Europa e EUA, onde ele chegou a ganhar recursos como o assistente de permancência em faixa (lane assist) e o farol alto automático, apenas para citar dois exemplos, mas por aqui a Toyota soube corrigir antigas falhas do sedã que o tornam ainda mais competitivo dentro do segmento a partir de agora.

A crítica recorrente sobre o Corolla não oferecer os controles de tração e estabilidade já ficaram no passado. De carona, a segurança como um todo também dá um salto com o fato de todas as versões do Corolla a partir da linha 2018 também contarem com 7 airbags de série. Com esse pacote e mais um tapinha no visual, em especial na dianteira, o líder do segmento dos sedãs médios está pronto para encarar as novas gerações de Honda Civic e Chevrolet Cruze, que ainda estão longe de ameaçar as vendas do Corolla.

Para saber como o sedã ficou com a chegada da linha 2018, o AUTOO resolveu percorrer alguns quilômetros a bordo da versão XEi, a mais procurada dentro da gama e que responde por quase 50% de todos os Corolla vendidos no Brasil. O Corolla XEi 2018 já está nas lojas e tem preço sugerido de R$ 99.990, um aumento de R$ 3.000 em relação ao praticado até a linha 2017.

Nessa faixa de preço você encontra como alternativas ao Corolla o Chevrolet Cruze em sua versão LTZ sem opcionais, tabelada em R$ 101.990, que traz um nível de equipamentos semelhante ao do Corolla XEi, que agora ganhou recursos como a chave presencial com partida por botão e uma completa central multimídia com navegador integrado, TV digital, câmera de ré, dentre outros. Se você puder acrescentar mais R$ 9.900 no preço do Cruze, é possível levar o Chevrolet para casa com recursos como o assistente de estacionamento, farol alto adaptativo, assistente de permanência em faixa, dentre outros recursos de tecnologia. Movido pelo motor 1.4 turbo, o Cruze oferece um pacote interessante dentro do segmento.

Rival direto do Toyota Corolla, o Honda Civic em sua décima geração tem na versão EX a proposta mais parecida com o Corolla XEi. Apesar de estar uma geração à frente do Corolla e trazer um conjunto mecânico mais sofisticado, com suspensão traseira multibraço frente a eixo de torção do Toyota, o Civic EX traz um pacote de segurança parecido, porém deixa a desejar nos equipamentos de conforto. O Honda não traz, por exemplo, central multimídia, item presente até mesmo em compacto muito mais baratos.

Mas avaliar um Toyota Corolla requer muito mais do que ponderar sobre preço ou custo-benefício. Pergunte a um dono de Corolla quais são seus elogios ao modelo. Não é difícil ouvir inúmeros comentários enaltecendo o atendimento nas concessionárias, a ausência de ruídos internos ao rodar e a conhecida robustez do modelo. 

Todas essas qualidades o Corolla 2018 manteve irretocáveis. Para atender um pedido de que “faltava a opção de rodas maiores ao Corolla”, como a Toyota explicou no lançamento, a partir da versão XEi ele passa a contar com rodas aro 17”. Se melhoram o visual e fazem bem para a parte dinâmica, é fato que a combinação entre rodas maiores e pneus de menor perfil costumam sacrificar o conforto, em especial considerando as nossas ruas e avenidas nem sempre com a conservação adequada. Mas foi para agradar a gregos e troianos que a Toyota fez um competente trabalho de recalibração dos 4 amortecedores, que aumentou a altura da suspensão em 5 mm e proporcionou um comportamento irretocável ao Corolla.

A bordo do modelo, é praticamente difícil notar alguma diferença em termos de absorção de irregularidades do piso na comparação com o Corolla XEi 2017 e suas rodas de liga leve aro 16”, mostrando toda a competência do time de engenharia da Toyota. Além disso, o silêncio do conjunto permaneceu inalterado, sem qualquer “batida seca” da suspensão mesmo passando em buracos e vias com pavimento irregular.

Ao volante, a “tocada” é do bom e velho Corolla. Pensado para ser um carro muito competente para um passeio nos fins de semana ou atender com competência os deslocamentos de seu proprietário (a) até o trabalho, o Corolla não é um modelo que inspira uma condução esportiva, como é possível notar pela direção com respostas não muito rápidas como as do Honda Civic, por exemplo. O sobrenome do Corolla é conforto e talvez essa seja uma característica consagrada do modelo que se soma à sua lista de atributos. Como se não bastasse, a Toyota também promoveu uma melhora do isolamento acústico do modelo, adicionando uma camada de borracha ao painel corta-fogo e colocando feltros nos painéis de porta.

 
 
Toyota Corolla 2018
 
Toyota Corolla 2018
Toyota Corolla 2018
Toyota Corolla 2018
 
Toyota Corolla 2018
Toyota Corolla 2018
Toyota Corolla 2018
 
Toyota Corolla 2018
Toyota Corolla 2018
Toyota Corolla 2018
 
Toyota Corolla 2018
Toyota Corolla 2018
Toyota Corolla 2018
 
Toyota Corolla 2018
Toyota Corolla 2018
Toyota Corolla 2018
 
Toyota Corolla 2018
Toyota Corolla 2018
Toyota Corolla 2018
 
Toyota Corolla 2018
Toyota Corolla 2018
Toyota Corolla 2018
 
Toyota Corolla 2018
Toyota Corolla 2018
Toyota Corolla 2018
 
Toyota Corolla 2018
Toyota Corolla 2018
 
 

O revestimento interno de couro, item de série na versão XEi, traz tonalidade cinza e a partir da linha 2018 o modelo também conta com antena tipo "tubarão" no teto. 

No conjunto mecânico, tudo segue igual no Corolla XEi, que traz sob o capô o motor 2.0 16V com comando de válvulas variável, bloco e cabeçote de alumínio e 154 cv com etanol. O câmbio automático é do tipo CVT e seu software de gerenciamento é capaz de simular 7 marchas para a troca sequencial por meio de borboletas no volante. O software também contempla um modo esportivo, que altera o funcionamento da transmissão e cria respostas mais apimentadas aos comandos do acelerador. Com o conjunto formado pelo motor 2.0 16V e o câmbio CVT, o Corolla XEi é capaz de percorrer até 10,6 km/l na cidade e 12,6 km/l na estrada com gasolina.

Fato é que quando você dirige o Toyota Corolla é fácil entender porque ele tornou-se o carro mais vendido de todos os tempos somando 44 milhões de unidades emplacadas em mais de 50 anos de história. O modelo é exemplar ao oferecer as qualidades que grande parte das pessoas valorizam em um carro: rodar confortável, bom desempenho, silêncio a bordo, bom espaço interno e um porta-malas capaz de acomodar a bagagem de uma família.

Também pesa a favor do Corolla o custo de manutenção competitivo, atingindo R$ 3.250 para as revisões até 60.000 km. No Chevrolet Cruze, esse custo é de R$ 3.300, enquanto a Honda não divulga os valores do Civic em seu site oficial. Todos contam com garantia de três anos.

Agora mais seguro, com os controles de tração e estabilidade mais 7 airbags de série, e um visual levemente aprimorado, com destaque para a nova grade e o para-choque frontal, além da inclusão das luzes diurnas, o Toyota Corolla 2018 chega às lojas nesta semana e promete consolidar sua liderança no segmento. Uma compra mais do que recomendada.

Ficha técnica

Toyota Corolla 2018 XEi 2.0 16V flex automático 4p
Preço R$ 99.990 (04/2017)
Categoria Sedã médio
Vendas em 2017 17.907 unidades
Motor 4 cilindros, 1986 cm³
Potência 143 cv a 5600 rpm (gasolina)
Torque 19,4 kgfm a 4000 rpm
Dimensões Comprimento 4,62 m, largura 1,775 m, altura 1,475 m, entreeixos 2,7 m
Peso em ordem de marcha 0 kg
Tanque de combustível 60 litros
Porta-malas 470 litros
Veja ficha completa

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |