Se o Evoque conquistou corações jovens e solteiros com seu design com ares de conceito coube ao inédito Discovery Sport agradar às famílias e clientes mais “tradicionais”. É verdade que estereótipos só combinam com carros em estudos de marketing, mas a grosso modo pode-se dizer que o irmão menor do Discovery chegou para oferecer uma proposta mais racional que o pequeno Range Rover.

E desde sua concepção, o Discovery Sport esteve ligado ao Brasil. A Land Rover percebeu que o modelo teria um apelo muito grande por aqui. Bastava para isso ver o desempenho em vendas do Evoque desde seu lançamento. De quebra, a instalação de uma fábrica no Rio de Janeiro responsável por realizar a montagem final do SUV tornou o Discovery Sport candidato a Land Rover mais vendido no país.

Ele não decepcionou: desde o ano passado assumiu a liderança interna na marca inglesa que estava justamente com o Evoque. Uma das versões que mais chamam a atenção dos fãs da marca é justamente a equipada com motor turbodiesel. Custa pouco mais que a versão a gasolina e entrega um desempenho e consumo excelentes. É justamente esse Discovery Sport, com acabamento HSE, que o AUTOO avaliou recentemente.

Tudo que se imagina

O Discovery Sport é um SUV na medida. O espaço interno é generoso para um veículo de porte médio e há a possibilidade de ter dois bancos extras no imenso porta-malas como opcional. É um veículo alto (mais de 1,7 m) mas de fácil acesso.

O acabamento é esmerado, porém, sem ser ostensivo. Há materiais de boa qualidade e quase não se notam peças plásticas ou cromados que em outros carros disfarçam às vezes algum deslize de qualidade. O painel de instrumentos não surpreende: é praticamente o mesmo que encontramos em vários carros da marca e até da Jaguar.

O volante é volumoso e um tanto pesado, coisa de uma marca que preserva sua vertente off-road. O painel de instrumentos é dominado pelo mostradores analógicos, mas há uma tela LCD central com informações úteis na sua condução. No console central, o sistema de entretenimento e navegação parece um pouco defasado pelo tamanho pequeno, mas é prático e intuitivo, com suas cores que separam suas funções.

Mais abaixo, há os controles de ventilação e do ar-condicionado de várias zonas. É talvez a parte mais sem graça do veículo. Em compensação, logo abaixo dele está o Terrain Responde, o sistema inteligente de tração que exibe as várias opções de condução, conforme o piso – é um velho conhecido de outros Land Rover e ponto de maior mudança no conceito da marca.

Econômico e com torque de sobra

O Discovery Sport conta com um motor 2.0 turbodiesel common rail de injeção direta que substituiu o anterior, um 2.2. É um propulsor potente (180 cv) e com torque muito elevado: são mais de 40 kg de torque já a 1.750 rpm. Isso significa na prática que mesmo com mais de duas toneladas, o SUV pode de ir de 0 a 100 km/h em apenas 8,4 segundos – a velocidade máxima é de 188 km/h.

Assim como o Evoque, o Discovery Sport diesel vem equipado com uma transmissão automática com opção sequencial e paddle-shfits da ZF. São nove velocidades, o que se traduz num regime de tocada sempre ideal e sem trancos ou ruídos excessivos.

Eis aí outro ponto positivo do Discovery Sport diesel, o silêncio a bordo. Quase não se nota tratar-se de um carro movido a diesel graças ao ótimo isolamento acústico.

 
 
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
Land Rover Discovery Sport 2017
Land Rover Discovery Sport 2017
 
 

No dia a dia

Há de se reconhecer que um veículo com 4,6 metros de comprimento não é exatamente o mais prático na cidade. Ele conta com vários recursos para direção e estacionamento, mas seu perfil é mais indicado para estradas e trilhas, onde suas virtudes são mais aproveitadas.

Na cidade, dirigi-lo é um pouco mais trabalhoso se comparado a um carro menor e com direção mais leve, por exemplo. Já nas rodovias, o ótimo torque e o belo teto panorâmico garantem um viagem prazerosa.

A opção da Land Rover por uma manopla circular do câmbio é algo que exige algum costume. É funcional, sem dúvida, mas pode fazer falta para alguns a inexistência de uma alavanca de acionamento.

Por outro lado, o SUV recebe muito bem uma família com filhos pequenos. E até mesmo se ela for volumosa. A terceira fileira de bancos, opcional por R$ 8.240), leva com bom conforto crianças ou adultos com até 1,60 m de altura. Mais que isso é complicado, como vimos na prática.

Se preferir manter os cinco assentos, o proprietário do Discovery tem a disposição um veículo bastante versátil, com porta-malas espaçoso e bancos traseiros que possuem ajuste longitudinal e de encosto. O acabamento de couro dos assentos é excelente e pode ter várias tonalidades, conforme o gosto.

A marca inglesa oferece um app disponível para Android e iPhone que facilita o uso de alguns recursos do veículo. Há também uma lista imensa de opcionais e acessórios, alguns com preços um tanto salgados. O som premium da Meridian, mais TV digital e telas no banco traseiro custa mais de R$ 22 mil ou praticamente 10% do valor do carro.

 

 

Grife que vale

Um SUV de sete lugares com motor turbodiesel não é algo que se encontra com facilidade no mercado. Há opções menores, é verdade, que o diga o tão admirado Compass, da Jeep, mas com o pacote de recursos do Discovery Sport são poucos casos. Um concorrente indireto e que faz bastante sucesso no Brasil é o Toyota SW4, um veículo maior, porém, mais utilitário que esportivo.

É nesse espaço que o Discovery Sport diesel se encaixa bem. Por R$ 270,5 mil, a versão HSE é um pouco mais cara que um SW4, mas compensa pelo refinamento. Mas se for demais, há também a opção SE por R$ 240 mil e as movidas a gasolina, entre outras. Como se vê, não é por falta de versões que o Discovery Sport ficará devendo.

Ficha técnica

Land Rover Discovery Sport 2017 HSE 2.0 16V diesel automático integral 4p
Preço R$ 270.496 (09/2017)
Categoria SUV médio
Vendas em 2017 2.640 unidades
Motor 4 cilindros, 1999 cm³
Potência 180 cv a 4000 rpm (diesel)
Torque 43,8 kgfm a 1750 rpm
Dimensões Comprimento 4,599 m, largura 2,069 m, altura 1,724 m, entreeixos 2,741 m
Peso em ordem de marcha 1786 kg
Tanque de combustível 54 litros
Porta-malas 981 litros
Veja ficha completa

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier |