Dando muita atenção a seu novo modelo de entrada, o pequenino Mobi, a Fiat coloca nas lojas a partir desta semana a linha 2018 do modelo, que traz como principal novidade a inclusão do câmbio robotizado GSR-Comfort trabalhando em conjunto com o motor Firefly 1.0 de 3 cilindros.

A novidade caiu muito bem ao subcompacto, sendo que o Mobi Drive GSR torna-se o carro com motor 1.0 mais econômico do Brasil. Segundo o Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular, ele registrou consumo energético de 1,43 MJ/km, dessa forma superando os 1,44 MJ/km do Volkswagen up! TSI. Com isso, as parciais do Fiat Mobi Drive GSR são excelentes e ficam em 14 km/l na cidade e 15,9 km/l na estrada, ambas com gasolina. Utilizando etanol os números atingem 9,8 e 11,1 km/l, respectivamente. Se você busca um modelo extremamente econômico, vale lembrar a opção do Peugeot 208 com o propulsor Puretech 1.2, que permite o hatch entregar médias de 15,1 km/l na cidade e 16,9 km/l na estrada com gasolina. Contudo, ele só é oferecido com câmbio manual de 5 marchas.

Grande parte desse bom resultado do Mobi pode ser credito ao câmbio GSR-Comfort, que conta com uma calibração bem orientada à economia quando atua em modo automatizado de trocas de marchas. Segundo a equipe de engenharia da Fiat, a caixa GSR (Gear Smart Ride) traz evoluções principalmente na calibração e na chegada de um novo software ao conjunto. Além do diferencial de contar com comando eletro-hidráulico, a transmissão mostra o quanto a Fiat e a Magnetti Marelli se dedicaram para aprimorar esse tipo de câmbio, que hoje oferece trocas bem mais rápidas e confortáveis em relação aos primeiros modelos oferecidos do mercado com esse tipo de transmissão.

Claro que mesmo o GSR-Comfort ainda não oferece o mesmo nível de conforto nas trocas do que um câmbio automático convencional ou CVT, apenas para citar dois exemplos, mas a caixa mostra uma grande evolução em relação às que encontramos no mercado. O próprio Fiat Uno já traz esse conjunto em suas versões até então chamadas de Dualogic, mas que serão rebatizadas com a sigla GSR em breve.

Os “soluços” no modo de trocas automatizado ainda ocorrem em especial na passagem de marchas mais baixas, como da 1ª para a 2ª e dela para a 3ª marcha, mas é algo que você pode evitar adotando as trocas sequencias por meio de borboletas no volante. Basta proceder como em um câmbio manual, aliviando o acelerador e pressionando os paddle-shifters logo depois. Dessa forma você ganha bem mais em suavidade sem ter que se dar ao trabalho de pisar no pedal de embreagem a todo momento. É para isso que os câmbios robotizados nasceram e sua grande vantagem em relação aos manuais.

 
 
Fiat Mobi 2017
 
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
 
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2017
Fiat Mobi 2018
 
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
 
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
 
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
 
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
 
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
 
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
 
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
 
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
 
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
 
Fiat Mobi 2018
Fiat Mobi 2018
 
 

No câmbio GSR, que no Mobi acompanha a designação Comfort para realçar as melhoras promovidas pela marca, a Fiat decidiu abandonar de vez a alavanca de câmbio dando “de brinde” para quem compra um modelo com a transmissão o volante com as borboletas para trocas sequencias. Entra no lugar no console central um conjunto com 5 botões que reúne as teclas N (neutro), R (ré), D (drive), A/M (alterna entre as trocas automatizadas e manuais) e S (Sport). Segundo a Fiat, a nova maneira de operar o câmbio nasce em grande parte inspirada pelas novas gerações, muito mais acostumadas ao mundo digital, repleto de botões, do que a uma tradicional alavanca de comando.

Confesso que, particularmente, sou um dos que ainda gostaria da alavanca para trocas sequenciais, de operação muitas vezes mais intuitivas do que pelas borboletas no volante. Claro que os paddle-shifters são mais fáceis e seguros de operar, uma vez que mantém as mãos do motorista no volante, porém requer uma adaptação para um abandono total da alavanca. Um detalhe é que borboletas poderiam ser um pouco maiores e de operação mais sensível. O tamanho das duas aletas é pequeno e ambas estão posicionadas muito rentes ao volante. É certo, contudo, que a maioria dos clientes deixará o câmbio operando em modo automatizado e, para isso, os botões no console cumprem bem seu papel.

Segundo a Fiat, o Mobi Drive GSR é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 13,9 segundos com etanol e atingir até 164 km/h quando abastecido com etanol. Não são números empolgantes, mas considerando que o Mobi é um modelo em que 80% de seus proprietários farão o uso do carro na cidade, é fato que nesse contexto é muito melhor ter um carro bem econômico do que um produto com dados de desempenho estonteantes.

Nesse contexto de uso urbano o Mobi agrada bem, em especial por suas dimensões bem compactas. Com 3,56 m de comprimento e 1,63 m de largura, é fácil estacionar o Mobi na maioria das vagas. Auxiliado pelo baixo peso, que é de 965 kg na versão Drive GSR, o pequenino Fiat é um modelo que mostra-se muito mais disposto do que os números de desempenho mostram. Considerando que a bordo do Mobi ou você andará sozinho ou com mais uma pessoa (colocar quatro adultos no Mobi requer certo malabarismo...), o subcompacto trafega com desenvoltura pelas ruas e avenidas. Mesmo em subidas seu motor 1.0 dá conta do recado. Em termos de manutenção, a equipe de engenharia da Fiat adianta que a embreagem utilizada pelo Mobi automatizado entrega a mesma durabilidade da presente no Mobi Drive manual.  

Um ótimo recurso do câmbio GSR-Comfort, que pode fazer reduções de até 2 marchas ou mais dependendo da necessidade, é o modo esportivo de atuação do câmbio. Além de entregar um novo ritmo para as trocas de marchas, deixando o conta-giros avanças mais nas rotações, a tecla S também deixa o acelerador mais sensível e o Mobi, com isso, fica bem mais esperto nas respostas. Outra vantagem dessas trocas em rotações mais altas, é que os “soluços” do câmbio tornam-se mais amenos.

A proposta claramente urbana do Mobi Drive GSR também é realçada pela função City oferecida pela direção elétrica. Ela torna o volante bem mais leve, ideal para quem prefere não fazer esforço ao dirigir. Se você desliga a função por meio de uma tecla no painel, a direção fica ligeiramente mais pesada, agradando aqueles que não fazem questão de tanta suavidade. Uma mescla de caráteres bem interessante.

Tabelado em R$ 44.780, o Mobi Drive GSR sai de fábrica com um conjunto bem completo, oferecendo, além do câmbio automatizado com borboletas para troca de marchas e da direção elétrica já citados, o ar-condicionado, computador de bordo com registros A e B, travas e vidros elétricos, volante com regulagem de altura e maçanetas e retrovisores na cor do carro. Também soma-se a lista de itens de série o visor digital TFT no centro do painel de instrumentos.

Olhando para a concorrência, o principal modelo que pode dividir clientes com o Fiat será o Volkswagen up!, que custa R$ 48.365 na versão I-Motion com câmbio robotizado. Bem mais caro, o up! também conta com motor 1.0 de 3 cilindros e traz um nível de equipamentos semelhante, mas deve as borboletas no volante. Em termos do consumo, o move up! I-Motion praticamente empata com o Mobi Drive GSR, entregando a mesma média na cidade, no caso 14 km/l na cidade, e, na estrada, registrando 15,8 km/l sempre com gasolina. A vantagem do up!, contudo, reside no espaço traseiro um pouco melhor do que o Mobi.

Em resumo, o câmbio automatizado GSR-Comfort caiu como uma luva no Fiat Mobi. Ele torna-se um bom aliado na cidade ao proporcionar mais conforto ao motorista, em especial nos congestionamento, por não ter que ficar lidando a todo momento com o cansativo pedal da embreagem, algo importante em um modelo criado para a cidade como o Mobi. Aliás, ele é modelo mais acessível hoje no mercado para quem quiser descansar o pé esquerdo. Apesar da grande evolução que o GSR entrega sobre os primeiros automatizados (quem andou em um Stilo Dualogic vai entender do que estou falando...) não espere dele o mesmo nível de suavidade de um automático convencional, porém o Mobi Drive GSR é um modelo mais agradável de dirigir do que o VW up! I-Motion.

Se você está pensando em comprar o Mobi Drive manual, mas o orçamento está um pouco mais folgado e você pode partir para a opção GSR, é um investimento que vale a pena. Se você encara muitos engarrafamentos nos seus deslocamentos diários, verá que é um conforto que vale a pena.

Ficha técnica

Fiat Mobi 2018 Drive GSR 1.0 6V flex automatizado 4p
Preço R$ 44.780 (05/2017)
Categoria Hatch compacto
Vendas em 2017 19.056 unidades
Motor 3 cilindros, 999 cm³
Potência 72 cv a 6000 rpm (gasolina)
Torque 10,4 kgfm a 3250 rpm
Dimensões Comprimento 3,566 m, largura 1,633 m, altura 1,5 m, entreeixos 2,305 m
Peso em ordem de marcha 965 kg
Tanque de combustível 47 litros
Porta-malas 215 litros
Veja ficha completa

César Tizo |