O brasileiro aprendeu a gostar de câmbio automático. A procura pelo recurso só cresce no mercado e tem alguns bons motivos para isso, entre eles o tempo gasto em congestionamentos (onde vale pelo conforto), mas também graças ao avanço das transmissões que estão mais eficientes.

Quando se fala de veículos com preço acima de R$ 60 mil então, o câmbio automático reina e em muitos modelos chega a dispensar versões com transmissão manual. No entanto, a Renault preferiu lançar a inédita picape Oroch em 2015 sem a opção automática, algo que apenas em junho deste ano foi preenchido no portfólio.

A notícia é boa já que a picape teve boa aceitação, mas casa muito bem com a nova transmissão. AUTOO avaliou o modelo por uma semana e constatou que a versão Dynamique 2.0 automática é a que mais combina com a proposta do modelo, um utilitário na essência, mas que tem ótima vocação urbana.

Déjà vu

A Oroch nasceu da costela do SUV Duster. A Renault aproveitou o porte avantajado do modelo para produzir uma picape intermediária entre as compactas e as médias. Com entreeixos maior e uma mecânica até mais sofisticada, ela oferece uma caçamba volumosa sem perder muito espaço, embora a fileira de trás não esbanje conforto comparado a algumas picapes maiores. Perto de Strada, Saveiro e Montana, no entanto, ela sobra.

O resultado é um veículo relativamente alto e bem resolvido no estilo. Mas a Oroch herdou a parte mecânica do Duster, que não chega a encher os olhos. Isso significa motores 1.6 e 2.0 e câmbio manual de 5 e 6 marchas. Se um pacote é aquém da tarefa de movê-la o outro esbarra no consumo mais alto, por isso a Renault mexeu na linha 2017 da picape.

No caso do motor 2.0, foi introduzido um sistema de regeneração de energia que recarrega a bateria em situações em que o motorista não está acelerando, evitando assim tirar recursos do motor. Outra novidade é a direção eletro-hidráulica, que aciona o volante por meio de um motor elétrico, mais uma vez poupando o propulsor. De quebra, a montadora equipou a Oroch com pneus verdes, que ajudam a reduzir o consumo de combustível.

Tudo isso foi importante para que a versão automática, disponível apenas no modelo Dynamique 2.0, não ficasse com um consumo muito alto. Segundo o Inmetro, a Oroch roda 5,9 km/l na cidade e 7,6 km/l na estrada com etanol e 8,6 km/l (cidade) e 10,8 km/l (estrada) com gasolina.

Não é um desempenho impressionante, que comprovamos no dia a dia. Apesar de mais contida, a Oroch tem uma quedinha para a bebida. Talvez uma solução para isso esteja justamente na transmissão, que dispõe de apenas 4 marchas e já é conhecida de outros carros da Renault.

 
 
Renault Oroch 2017
 
Renault Oroch 2017
Renault Oroch 2017
Renault Oroch 2017
 
Renault Oroch 2017
Renault Oroch 2017
Renault Oroch 2017
 
Renault Oroch 2017
Renault Oroch 2017
Renault Oroch 2017
 
Renault Oroch 2017
Renault Oroch 2017
Renault Oroch 2017
 
Renault Oroch 2017
Renault Oroch 2017
Renault Oroch 2017
 
Renault Oroch 2017
Renault Oroch 2017
Renault Oroch 2017
 
Renault Oroch 2017
Renault Oroch 2017
Renault Oroch 2017
 
Renault Oroch 2017
Renault Oroch 2017
 
 

Ela possui um funcionamento até mais suave do que o esperado, mas perde para os câmbios da rival Toro, da Fiat. Para se ter uma ideia, a nova versão Freedom 2.4 da picape está equipada com o câmbio ZF de 9 marchas e consegue o mesmo consumo da Oroch, porém, oferecendo mais potência e torque.

Tête-à-tête

E por falar na Toro está aí a grande pedra no sapato da Oroch. Embora possa se dizer que elas não chegam a ser concorrentes diretos, na versão automática elas se equivalem em preço. Enquanto a Toro Freedom 1.8 parte de R$ 82.930 a Oroch Dynamique 2.0 custa R$ 79.120, valor que pode chegar a R$ 82.610 com o pacote que a aproxima dos itens da Fiat.

Sim, a Oroch é uma picape mais espaçosa e conta com um motor mais potente que se reflete em mais disposição seja na aceleração de 0 a 100 km/h (9,7 segundos com etanol) ou velocidade máxima 186 km/h, isso sem afetar o consumo comparado ao da Toro 1.8, no entanto, não há como colocá-la na mesma categoria da rival em construção, equipamentos e dirigibilidade.

A Oroch é um projeto baseado na plataforma M0 original, do Logan, e por isso ainda carrega algumas soluções que foram suprimidas na segunda geração da família. Entre elas estão botões em locais pouco práticos, painel de difícil visualização e adaptações como a enorme caixa que acomoda os acionadores dos vidros elétricos nas portas.

O acabamento, embora tenha evoluído, também é bastante simples para um carro que custa R$ 80 mil. Em compensação, a picape da Renault traz o prático sistema Media Nav Evolution e sensor de estacionamento traseiro, necessário num veículo com quase 4,7 metros de comprimento.

A Oroch automática é um veículo agradável de dirigir, com direção e suspensão bem ajustadas para uma picape. A visibilidade é boa em todas as direções e largura do cockpit, raridade no meio. É um veículo com um estilo mais rústico, que lembra as origens das caminhonetes, mas será que é isso mesmo que o cliente busca? Seja como for, a Oroch com câmbio automático é a versão mais urbana da picape.

A caçamba, com 683 litros, é de fácil acesso, mas exige que o pacote Outsider (R$ 3,5 mil) seja incluído caso você queira a indispensável capota marítima. Seria uma picape bacana caso não existisse uma concorrente superior e com preço parecido.

Ficha técnica

Renault Oroch 2017 Dynamique 2.0 16V flex automático 4p
Preço R$ 79.120 (04/2017)
Categoria picape compacta-média
Vendas em 2017 3.677 unidades
Motor 4 cilindros, 1998 cm³
Potência 143 cv a 5750 rpm (gasolina)
Torque 20,2 kgfm a 4000 rpm
Dimensões Comprimento 4,693 m, largura 1,821 m, altura 1,695 m, entreeixos 2,829 m
Peso em ordem de marcha 1375 kg
Tanque de combustível 50 litros
Caçamba 683 litros
Veja ficha completa

Publisher do AUTOO é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier |