Talvez nunca na história automobilística brasileira um carro tenha mudado mais do que ele no conceito do público. De menosprezado no início da carreira, em 1984, o Uno passou a ser sinônimo de carro popular quando ganhou a versão Mille. De mico mecânico (quem não teve um que cismava em trocar marchas só quando ele queria?) a carro confiável e pau para toda obra.

Na segunda geração, lançada em 2010, o Uno voltou a chamar a atenção. O estilo ‘rounded square’ (retângulo arredondado) criado pela Fiat foi um banho de design num segmento que vivia de modelos sem graça. O resultado foi um dos carros mais vendidos do país e até ameaçou o reinado do Gol em 2011.

Mas vieram os novos compactos, o Inovar-Auto e a crise econômica. E com eles, as vendas do Uno. Com o fim forçado do Mille, o volume de emplacamentos caiu e a concorrência maior fez o resto. Em 2016, apenas 34,6 mil Unos foram vendidos no Brasil, o que ele conseguia em 45 dias há cinco anos.
Mas, afinal, por que não comprar o Uno? É a pergunta que nos fizemos após avaliar a versão Attractive 1.0.

Visual ‘over’

O primeiro contato com o novo Uno 2017 já revela que o estilo dos quadrados arredondados perdeu prioridade. Os elementos dessa linguagem existem ainda, sobretudo nas lanternas saltadas, mas a frente do carro agora quer parecer mais esportiva. A característica ausência de grade entre os faróis, só quebrada pelos três retângulos do lado esquerdo, virou um conjunto comum, com frisos horizontais. O para-choque encorpou e os faróis, que já haviam mudado no primeiro retoque de 2013, agora combinam mais com o resto do carro. Bem, o resultado não é ruim, mas dá mostras de que passou um pouco dos limites. Algo que, aliás, é comum na Fiat em algumas reestilizações.

Em resumo, o Uno agora quer parecer um carro mais desafiador e menos família, algo difícil de conseguir. Mas vamos para o interior, que é onde o novo Uno se revela, afinal.

Outro carro

Por dentro, o Uno se transformou. O quer era simplicidade e minimalismo agora quer passar a impressão até de sofisticação. O painel assim como outros detalhes haviam mudado no primeiro facelift três anos atrás. Ou seja, o Uno passou a conta com um painel mais completo, volante multifuncional e opções de sistemas de som mais avançados.

Na linha 2017, no entanto, o Uno trouxe duas novidades importantes, a direção elétrica e o motor 1.0 Firefly. Ambos contribuíram para que o carro passasse a ser muito econômico tanto na cidade quanto na estrada.

A direção elétrica não é novidade na marca, mas só chegou ao Uno agora. Leve e precisa, ela ainda conta com o conhecido recurso City, que facilita as manobras em baixa velocidade ao reduzir ainda mais o esforço no volante. De quebra, ela ‘roupa’ menos energia do motor como ocorre com o sistema hidráulico.

A versão testada, Attractive 1.0, estava equipada com os dois pacotes opcionais de equipamentos, incluindo o controle de tração e estabilidade, que inclui o assistante de partida em rampa. Com esses adendos, o Uno custava em fevereiro R$ 47.135, um valor alto, mas ainda assim menor que alguns hatches compactos da concorrência.

Já o motor Firefly é um capítulo à parte. O três cilindros 1.0 não é cheio de recursos modernos como outros propulsores (que incluem quatro válvulas por cilindro, comandos variáveis de válvulas e até turbo com injeção direta), mas ele cumpre o que promete, ou seja, economia.

A primeira boa impressão desse motor de é ter quase toda vibração filtrada na cabine. A outra é a boa resposta em baixas rotações, uma vantagem de um motor aspirado com duas válvulas por cilindro. Ele possui 77 cv de potência com etanol, um ganho pequeno, porém, é no torque que ele compensa. São 10,9 kgfm, suficientes para oferecer uma certa agilidade na estrada e na cidade.

Um faquir em matéria de consumo

Dirigir o novo Uno é uma experiência bastante agradável. A suspensão acusa uma certa inclinação em curvas, mas nada que incomode, e o rodar é confortável, dentro das limitações desse porte de carro.

O novo motor e a direção elétrica tornam o Uno um carro ágil e prático na cidade, mesmo com o câmbio nem tão prazeroso de manusear. O modelo da Fiat é daqueles carros em que você dirige numa posição elevada, o que facilitava a visibilidade. Os recursos a bordo são muito bons, com exceção do rádio um tanto simples. Ter o controle de tração é algo que vale a pena ao se deparar com saídas em ladeira, por exemplo. A tecla City é outro atributo que você se acostuma a usar na cidade.

Mas o prazer vem de notar o ponteiro do combustível demorar a cair. Segundo o Inmetro, o Uno 1.0 roda 9,2 km na cidade e 10,4 km na estrada com etanol. Já com gasolina são 13,1 km na cidade e 15,1 km na estrada.

Na nossa experiência com ele, conseguimos chegar a 12 km/l num circuito predominantemente rodoviário – e usando etanol. Numa outra medição, em que reabastecemos com gasolina, o Uno chegou a 16 km/l numa tocada bastante cuidadosa. Ou seja, é possível rodar mais de 500 km com um tanque com facilidade.

Cadê os clientes?

 
 
Fiat Uno 2017
 
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
 
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
 
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
 
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
 
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
 
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
 
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
 
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
 
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
 
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
 
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
 
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
 
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
 
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
 
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
 
Fiat Uno 2017
Fiat Uno 2017
 
 

Com todos esses bons motivos, o Uno 2017 deveria ser uma escolha comum do público, mas não é. Hoje ele vende bem menos do que antes. Está mais caro, é verdade, mas tem que enfrentar uma legião de rivais bem armada. E se ele sobra em equipamentos, perde em design e também em espaço interno.

É aquela conhecida situação em que o produto não parece ‘agregar’ tanto valor, embora o tenha. Ao menos seus proprietários vão poder curti-lo em segredo enquanto outros concorrentes só aparecem bem na foto.

Ficha técnica

Fiat Uno 2017 Attractive 1.0 6V flex manual 4p
Preço R$ 43.320 (04/2017)
Categoria Hatch compacto
Vendas em 2017 10.302 unidades
Motor 3 cilindros, 999 cm³
Potência 72 cv a 6000 rpm (gasolina)
Torque 10,4 kgfm a 3250 rpm
Dimensões Comprimento 3,82 m, largura 1,636 m, altura 1,48 m, entreeixos 2,376 m
Peso em ordem de marcha 1010 kg
Tanque de combustível 48 litros
Porta-malas 290 litros
Veja ficha completa

Ricardo Meier |