Se há uma marca de automóveis feliz com o Inovar-Auto ela se chama Kia Motors. A fabricante sul-coreana foi uma das mais atingidas pelo fechamento do mercado para importados a partir de 2011, quando uma alíquota extra de 30 pontos percentuais no IPI dizimou o setor – e que acabou julgada ilegal pela OMC, a organização mundial do comércio.

Agora que o programa de incentivo à indústria está nos seus últimos dias, a Kia acaba de anunciar que está investindo R$ 165 milhões para preparar sua rede para crescer em 2018, quando a sobretaxa deixará de ser cobrada e não haverá mais limite de importação – hoje apenas 4,8 mil unidades podem ser trazidas do exterior sem os 30 pontos extras.

José Luiz Gandini, presidente da Kia no Brasil, declarou nesta quinta-feira que terá 10 novas concessionárias a partir de janeiro além de abrir outras 15 durante o ano. “Com o retorno à normalidade tributária, já compramos, para produção nos meses de outubro a dezembro, 5 mil unidades, do total de 20 mil programadas para 2018. Com isso, a Kia poderá iniciar janeiro com maior volume de veículos em estoque para comercialização, contribuindo, em 2018, com recolhimento de impostos aos cofres públicos da ordem de R$ 1,2 bilhão, e gerar 1.300 novos empregos diretos”, disse o executivo.

Em 2017, a marca deverá terminar com apenas 8 mil unidades comercializadas, cerca de 10% do que vendeu no seu melhor ano na história (77,2 mil carros e 11º lugar no ranking).

Novos carros

O alento do fim do Inovar-Auto também fará a Kia voltar a investir em novos produtos no Brasil. A importação de alguns modelos havia sido se não suspensa reduzida a poucos exemplares. Agora, a marca promete lançar finalmente o Rio, um hatch e sedã compacto fabricado no México, além da versão mais esportiva do novo Picanto (GT), a nova geração do sedã de luxo Cadenza e o inédito Stinger, outro sedã mas com visual mais jovem. Os SUVs Sorento e Sportage também devem ganhar novidades.

A marca, no entanto, diz que os preços não cairão: “Se quiséssemos trazer os veículos fora dessa cota, nossos preços finais ao consumidor teriam ficado fora de competitividade. Por isso não ultrapassamos esses limites. Assim, a partir de janeiro os preços dos veículos importados não serão reduzidos, pois os 30 pontos extras não foram – e não são – possíveis de recolhimento”, explicou Gandini.

 
 
Kia Cadenza 2017
 
Kia Cadenza 2017
Kia Cadenza 2017
Kia Stinger 2018
 
Kia Stinger 2018
Kia Stinger 2018
Kia Picanto 2018
 
Kia Picanto 2018
Kia Picanto 2018
Kia Picanto 2018
 
Kia Picanto 2018
Kia Picanto 2018
 
 
Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/